Documentário inédito contrapõe o sonho da vida urbana sustentável aos excessos e desigualdades da cidade

A produção integra a série A Cidade no Brasil, dirigida por Isa Grinspum Ferraz, e estreia no SescTV no dia 15 de maio, às 21h
Foto: Gabriel Barrella.
O SescTV exibe Cidade Natural ou Desperdício, documentário faz uma analogia da vida urbana sustentável com a urbe como espaço para acumulo de riquezas e exageros, levando ao consumismo desnecessário e à desigualdade socioeconômica. O episódio inédito vai ao ar no dia 15/05, quarta-feira, às 21h, integra a série A Cidade no Brasil, dirigida pela cineasta Isa Grinspum Ferraz.  (Assista também em sesctv.org.br/aovivo.)
Produzida a partir do livro de mesmo nome do antropólogo, poeta e ensaísta Antonio Risério, publicado em 2012, A Cidade no Brasil traz reflexões de pensadores contemporâneos sobre aspectos e dimensões do fenômeno urbano no país e apresenta um olhar atento sobre as cidades brasileiras, desde a sua criação até a atualidade. No total são 10 episódios, sendo oito de aproximadamente 26 minutos e dois episódios especiais (o primeiro e o último) de 40 minutos cada. Todos já estão disponíveis sob demanda, em alta definição, com legendas em português, inglês e espanhol, no site doSescTV, em sesctv.org.br.
O episódio Cidade Natural ou Desperdício apresenta entrevistas com o líder indígena Davi Kopenawa; os educadores Eduardo Cardoso e José Eli da Veiga; os arquitetos e urbanistas Alexandre Delijaicov e Guilherme Wisnik; e o cientista Carlos Nobre, além do próprio Risério, que se apoia nos pensamentos do filósofo grego Platão para distinguir a cidade natural da urbe da luxúria ou do desperdício. O antropólogo comenta que a primeira atende as necessidades primárias das pessoas, como morar e comer, e a segunda satisfaz outras demandas, caracterizando-se em metrópole do excesso, da acumulação irracional de riqueza e das falsas necessidades.
O educador Eduardo Cardoso acredita que as pessoas veem a cidade como uma oportunidade para se realizarem na vida pessoal e profissional. Porém, de acordo com ele, o capitalismo não deixa a urbe acolher a todos, tanto socialmente como ambientalmente, provocando desigualdade entre seus habitantes. José Eli da Veiga, agrônomo, economista e professora do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da Universidade de São Paulo – USP, assegura que não dar atenção à educação na primeira infância e não ter acesso ao saneamento básico são algumas das piores diferenças entre a população. Já o arquiteto e urbanista Alexandre Delijaicov chama a atenção para a forma de moradia dois terços dos habitantes de áreas urbanas em todo o país, que estão em terrenos sujeitos à riscos de deslizamento e de inundação.
A importância dos rios para as cidades também é destacada no episódio. O líder indígena Davi Kopenawa fala do quão relevante é a água para o seu povo e o arquiteto e urbanista Guilherme Wisnik se preocupa com a escassez das reservas desse líquido, temendo a possibilidade de não haver um caminho de volta. Segundo ele, na América Colonial, incluindo o Brasil, as urbes nasceram dando as costas para os rios. “Eram, literalmente, fundos de quintais, áreas de técnicas, de transferências, de trocas de mercadoria, de lixo”, esclarece. Wisnik comenta, também, que o mesmo fenômeno continua acontecendo em metrópoles pelo país, os rios são colocados de lado em prol de uma paisagem com avenidas expressas, carros poluindo o meio ambiente e periferias imensas.
Ainda neste episódio, Antonio Risério discute sobre uma nova visão de cidade que está se configurando atualmente no Brasil e o cientista Carlos Nobre articula sobre o desenvolvimento humano que, para ele, deve ter foco na sustentabilidade.
Com trilha sonora assinada pelo DJ Dolores, a série A Cidade no Brasil é pontuada por imagens de arquivos garimpadas em cinematecas e centros culturais do Brasil, de Portugal e da França, e outras atuais filmadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ouro Preto, Mariana, Recife, Salvador e Belém.
Uma plataforma gratuita sob demanda
Além do acesso à programação ao vivo do canal, o site do SescTV oferece uma seleção de programas e séries brasileiras que podem assistidas na íntegra, gratuitamente, sem necessidade de cadastro. Basta acessarsesctv.org.br. São shows, documentários, debates e entrevistas, que tratam de temas como arquitetura, literatura, filosofia, teatro, política, sociedade, ética e cotidiano. Dentre os programas estão as sériesArquiteturas e Habitar Habitat, ambas dirigidas por Paulo Markun e Sergio Roizenblit; Estilhaços e HiperReal, dirigidas por Kiko Goifman; Filosofia Pop, dirigida por Esmir Filho e apresentada por Marcia Tiburi; Super Libris, de José Roberto Torero, e Galáxias – Olhares sobre o Brasil, de Isa Grinspum Ferraz.
Sobre o SescTV
O SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente às operadoras de TV por assinatura, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com grandes artistas da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.
SERVIÇO:
Série: A CIDADE NO BRASIL
Direção: Isa Grinspum Ferraz
Produtora: Texto e Imagem
Realização: SescTV
No SescTV
7º episódio: Cidade Natural ou Desperdício
Estreia: 15/5, quarta, às 21h
Reapresentações: 17/5, sexta, às 19h; 18/5, sábado, às 18h; 19/5, domingo, às 14h; 20/5, segunda, às 11h; 21/5, terça, às 19h.
Classificação Indicativa: Livre
Online sob demanda
Todos os 10 episódios estão disponíveis em sesctv.org.br, gratuito.
Idioma Original: Português
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Todos os episódios:
– A Cidade
– Cidade Ameríndia, Metrópole Neoindígena
– O Brasil Nasceu Urbano k
– A Cidade Africana
– Cidade de Vidas Embaralhadas
– Sertão, Cidade e Segregação
– Cidade Natural ou Desperdício
– Cidade e Migração
– Vanguarda e Tradição
– Direito à Cidade
Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/ao vivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https: facebook.com/sesctv

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *