Classificação para o Mundial 14 anos evidencia evolução brasileira nas categorias de base

País foi o único da América do Sul a garantir vaga
para o masculino e para o feminino no Mundial

  

Times brasileiros competiram em Cali na última semana. Capitaneadas por Roberto Carvalho, a 
equipe feminina contou com Amanda de Oliveira, Carolina Laydner e Isabelle Torres. No masculino,
do capitão Santos Dumont, jogaram Gustavo Tedesco, Lucas Silva e William Norton.

Florianópolis (SC), 6 de maio de 2019 – O Time Brasil confirmou, no último fim de semana, a classificação para o Mundial 14 anos, que será disputado em Prostejov, na República Tcheca, em agosto. Mais do que reconhecer o bom desempenho dos atletas que competiram no Sul-Americano em Cali, na Colômbia, o resultado simboliza a constante evolução dos jovens tenistas do país apoiados pela Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

No Sul-Americano 14 anos, o time feminino terminou na primeira colocação ao vencer a final contra a Venezuela por 2 a 0, com Isabelle Torres e Amanda de Oliveira confirmando a conquista com as vitórias nos jogos de simples. Os garotos foram superados pela Argentina na decisão por 2 a 1. Após a derrota de Lucas Silva, Gustavo Tedesco venceu o seu confronto, levando o desempate para as duplas. A dupla rival levou a melhor após uma equilibrada partida, decidida no super tie-break. Os resultados garantiram vagas para as equipes masculina e feminina no Mundial.

“Foi uma semana muito positiva, as meninas lutaram muito e conseguiram se superar na questão emocional. Foi um torneio muito equilibrado, em que várias vezes tivemos que reverter situações adversas, mas que nos deram condições de chegar muito bem na final. Agora, temos que nos preparar para o Mundial em agosto, em que o nível é mais alto”, frisou o capitão Roberto Carvalho.

“Nosso time jogou muito bem, sendo superior em todos os confrontos até a final. Na final, nas duplas, Lucas e Gustavo pecaram em alguns momentos, mas lutaram e foram guerreiros até o fim. Estão todos de parabéns. Acredito muito nessa equipe e vamos nos preparar bem para o Mundial”, comentou Santos Dumont, capitão dos rapazes.

No campeonato feminino, as brasileiras ficaram na primeira colocação, seguidas por Venezuela e Peru. No masculino, a classificação terminou com Argentina em primeiro, seguida por Brasil e Peru. Com os resultados, o Brasil foi o único país do torneio a classificar as suas duas equipes para o Mundial da categoria.

Ainda neste ano, o país estará presente em outras competições continentais. Em 24 de junho está previsto o Sul-Americano 12 anos na Argentina. A partir de 5 de agosto será a vez do Sul-Americano 16 anos no Chile.

A participação das equipes nacionais nestes torneios conta com o investimento da Confederação Brasileira de Tênis. Para garantir a presença das equipes de 14 anos na Colômbia, foram investidos R$ 56 mil.

Evolução constante

Nos últimos anos, o Brasil tem apresentado evolução nos resultados alcançados em competições com categorias de base. Na temporada passada, por exemplo, o país bateu o recorde dos últimos 15 anos em relação ao número de atletas que encerraram o ano no top 100 do ranking juvenil masculino.

Apesar de alcançar a marca de oito jogadores ao mesmo tempo no top 100, 2018 acabou com sete brasileiros no topo: Tiago Wild (campeão do US Open da categoria, em 9º), Gilbert Klier Júnior(11º), Mateus Alves (48º), Natan Rodrigues (59º), João Lucas Reis da Silva (74º), Matheus Pucinelli de Almeida (80º) e Igor Gimenez (100º). Antes disso, o máximo de atletas no top 100 nas temporadas anteriores foram cinco tenistas, o que aconteceu em 2013 e 2017.

A CBT apoia estes jovens jogadores por meio de uma contribuição financeira mensal, além de custear as despesas de seus treinadores nas principais competições do circuito internacional, possibilitando que os tenistas tenham o apoio necessário para evoluírem no esporte.

Além disso, a Confederação mantém o compromisso de oferecer um calendário de competições juvenis que facilite a participação de brasileiros em campeonatos de nível ITF, somando pontos no ranking da Federação Internacional de Tênis. Atualmente, são oito torneios deste tipo realizados por ano no país.

Ao todo, são 57 torneios realizados no país no ano, com pontuação de GA+, G1+, GA, G1 e G2, como o Circuito Nacional Interclubes, o Circuito CBT, o Circuito de Verão, o Brasileirão, a Copa das Federações, entre outros. As competições acontecem nas cinco regiões do país, permitindo que atletas de todos os Estados tenham chances de somar pontos no ranking nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *