9º Congresso Brasileiro Ambiental reúne mais de uma centena de experiências

Evento de 26 a 30 de novembro próximo é aberto ao público e será realizado no ABC paulista

Os desafios da sustentabilidade nas grandes cidades e soluções encontradas na indústria, na agricultura e pelos poderes públicos, entre outros, serão mostrados em mais de uma centena de experiências em todo o Brasil reunidas no 9º Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, programado para 26 a 30 de novembro próximo no ABC paulista, na Universidade Metodista de São Paulo.

O esgoto como fonte de recursos, lajes verdes, eventos climáticos extremos, qualidade do ar comprometida, como o 3º setor faz gestão ambiental, reciclagem do plástico, desafio da produção limpa e degradação dos rios são alguns dos temas que compõem palestras, mesas redondas, trabalhos orais e pôsteres que se apresentarão em sessões abertas à comunidade durante todos os dias mediante inscrição prévia. O tema central do encontro é “Gestão Ambiental e o Meio Urbano”. São aguardados representantes do Ministério do Meio Ambiente e de Secretarias de Estado da área.

Haverá também visitas técnicas em 28 e 29 de novembro a ações desenvolvidas no Aterro Boa Hora (Mauá), no Laboratório de Inspeção Veicular da CETESB (São Bernardo do Campo), à Fábrica Aberta da Carbocloro (Cubatão), ao Aquapolo – Reuso de Água Industrial (São Paulo) e ao Aterro Semasa (Santo André). Dois minicursos encerram a programação em 30 de novembro, sobre “Elaboração de Planos de Resíduos Sólidos – Gestão e Gerenciamento” e sobre “Permacultura”, ou cultura permanente, que une culturas ancestrais com conhecimentos da ciência moderna.

Inscrições e programação completa do evento podem ser acessadas em  http://www.ibeas.org.br/congresso9/conteudo.php?id=10

Resíduos, chuva, óleo de fritura

A abertura do 9º Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental será realizada às 19h de 26 de novembro no Salão Nobre da Universidade Metodista por Gil Sacatena, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, ao lado do reitor Paulo Borges Campos Júnior.

As palestras que se iniciam no dia seguinte tratarão de temáticas, entre outros, sobre emergências químicas, pioneirismo socioambiental de Cubatão, aproveitamento de água de chuva, novas tecnologias para barreiras de contenção, Itaipu Binacional e resíduos sólidos, permacultura na periferia de São Paulo, logística reversa, iniciativas empresariais para contribuição aos objetivos da ONU, aquecimento global no Brasil.

Entre os trabalhos orais a comunidade poderá acompanhar experiências como uso da energia solar na Universidade Federal do Pampa (RS), gestão do óleo de fritura em Belém (PA), resíduos sólidos marinhos em praias de Sergipe, ação socioambiental na Riviera de São Lourenço (SP), reuso da água de aparelhos de ar condicionado em Teresina (PI), desertificação e agricultores de Aroeiras (PB), gestão de pneus em Aparecida de Goiânia (GO), pavimento de baixo custo com uso do montículo de cupim.

Já entre os trabalhos de pôster constam contaminação de postos de combustíveis em Jundiaí (SP), gerenciamento de resíduos da construção civil no Estado de São Paulo e uso da compostagem no cultivo de morangos orgânicos no Nordeste.

Do Grande ABC estão programadas apresentações como toxidade e sedimentos da Represa Billings (SOS Mata Atlântica), projeto de eficiência energética no Colégio Metodista de São Bernardo, papel do Zoológico de São Bernardo no cuidado da fauna regional, resíduos sólidos urbanos e aproveitamento energético (UFABC), reuso de água para fins industrias: Aquapolo de Mauá, Resíduos Sólidos e Logística Reversa (Consórcio Intermunicipal do ABC), licenciamento ambiental em Santo André (Semasa).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *