2019 terá mais de 30 chuvas de meteoros visíveis da Terra

2019 terá mais de 30 chuvas de meteoros visíveis da Terra

2019 terá chuvas de meteoros em todos os meses. É o que garante o pesquisador do Observatório Nacional Marcelo De Cicco, que acompanhou o levantamento do fenômeno que acontecerá até o final deste ano. No próximo dia 18 de janeiro, a chuva Ursae Minoridsterá seu pico, podendo ser observada a olho nu no céu do país. Em fevereiro, a Centaurids terá seu auge no dia 8. Já em março, dia 15, será a vez da Normids riscar o céu, em 23 de abril a Lyrids e 24, a Puppids.

Até o fim do ano, pelo menos uma chuva de meteoros será visível. Porém, outubro e dezembro apresentam o maior número de chuvas: sete e oito respectivamente. Marcelo De Cicco, pesquisador do Observatório Nacional e coordenador do projeto Exoss, explica o motivo: “Ocorre que, no último quarto do ano, o denominado complexo das Taurids – um aglomerado de detritos de muitas passagens antigas de cometas, divide-se em dois ramos, e é atravessado pelo nosso planeta”.

Os meteoros são pequenos corpos celestes que se deslocam no espaço e entram na atmosfera da Terra, queimando parcial ou totalmente devido ao atrito com a atmosfera terrestre e ao contato com o oxigênio. Este fenômeno deixa um risco luminoso no céu, que é popularmente chamado de “estrela cadente”. Eles não representam riscos para a Terra.

Quem registrar imagens de meteoros dessas chuvas pode enviá-las ao projeto Exoss, coordenado por Marcelo de Cicco, usando a ferramenta bolido.exoss.org.

Sobre a Exoss

A EXOSS é uma rede colaborativa, que busca conhecer as origens, natureza e caracterização de órbitas dos meteoros. Para isso, integra as estações de monitoramento montadas por seus associados, obtendo imagens em diversos locais – entre os quais, na sede do Observatório Nacional, no Rio de Janeiro, e no Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica, também do ON, em Itacuruba, Pernambuco. Essa rede reúne e analisa, ainda, os relatos e imagens enviadas pelo público.

Na página da EXOSS na Internet é possível obter mais informações sobre a rede e ver maneiras de colaborar.  A EXOSS também dá dicas de como fotografar meteoros, explica os fenômenos, oferece estatísticas de meteoros e meteoritos e orienta os interessados para fazer observação visual, além de mostrar imagens em tempo real das estações instaladas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *