Na Arquibancada, programa divertido sobre futebol na Rádio Classista

Todas as quintas-feiras 13h30 pelas ondas da Webrádio Classista, pela live do Facebook, do canal do Youtube; Rômulo Jacobi, Paulo Oliveira e Ezio Rodrigues fazem um programa esportivo diferente, onde a voz do torcedor se faz presente nos comentários dos locutores. Às vezes algum convidado como o Carlos Emanuel, que já é quase da equipe, sempre que pode leva as suas informações para acrescentar algo ao programa.  

 

A média é de mil visualizações só pelo Face, fora as pessoas que ouvem pelo site da Rádio Classista. Os ouvintes sempre interagem. Qual a pauta do programa? Pode ter notícias do Ceará, Fortaleza e Ferroviário, matérias sobre a Copa do Mundo, futebol europeu, como curiosidade da bola em geral. 

 

Ézio Rodrigues é conhecido como Palestrinha, porque gosta de discursar, de contar estórias e de se estender no palavreado; Rômulo puxa a diversão, com suas tiradas sarcásticas, com o humor jovem; Paulo Oliveira não é aquele que eu escutava em casa na Verdinha quando eu era pequeno e acordava às cinco da manhã para ir ao banheiro e meu avô estava lá ouvindo.  

Este Paulo aqui é o ‘Frei Tito’, por seu ar de seminarista, jeito que ele atualmente não busca muito, pois é mais atualizado com as novidades do mundo, interligado com a descontração. 

Eu, Carlos Emanuel ainda estou tentando relaxar, desencanar, se integrar, ou seja, ser mais leve. Ainda estou meio sério.  

 

O programa é quase um podcast, igual aqueles que eu ouço por aí: “Não Ouvo”, “NerdCast”, SerifaCast”,  “Mundo Freak”, mas é ao vivo e o feedback é instantâneo nos comentários da live. 

 

“O Brasileirão voltou, contudo, rato no campo em São Januário, pastor evangélico fazendo provocações, goleiro fechando o gol e tomando frango no final, declarações óbvias dos treinadores no final com medo de perder o emprego…” (abertura com Paulo Oliveira (apresentador)). 

 

Rômulo Jacobi ressalta, para definir bem o que é Na Arquibancada, ao dizer que foi uma idéia de amigos da faculdade, para fazer algo diferente do que estava sendo feito; “A idéia é cada um mostrar o time que torce sem ter receio de falar e conversar como se fosse amigos na mesa do bar, de maneira informal, de forma descontraída”.  

 

Paulinho destacou que desde 2012 existia um esboço de programa, só que os trabalhos de cada um, acabaram atrapalhando o projeto. Mas nesse ano de 2018, depois de ouvir alguns podcasts resolveram embarcar nessa jornada. “A ideia de formato era ir na contramão dos programas tradicionais de futebol, porque eu, particulamente, fiquei saturado, daquele formato de que os participantes dão sua opinião baseada em achismos… a ideia é mostrar na prática a cada programa por que o cearense é tão apaixonado por futebol…” 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *