Íntegra do discurso do Dr. João Porto Guimarães na outorga do Troféu Carnaúba ao empresário Emílio Ary Filho

SAUDAÇÕES 

 

Senhoras e Senhores, 

 

O poeta libanês Khalil Gibran, em sua obra maior, O Profeta, fala que “toda a sabedoria é vã, exceto quando existe trabalho. Quando a gente trabalha preenche um dos sonhos mais importantes da vida, o sonho que nos liga uns aos outros e que nos aproxima de Deus.” 

 

Em seus 152 anos de existência, a Associação Comercial do Ceará, tem sido ao mesmo tempo palco e platéia da expressão máxima deste sentimento de amor pelo trabalho. 

Por aqui passaram os mais expressivos atores dessa arte que é trabalhar; aqui foram escritos os mais nobres enredos da vida econômica cearense.  

 

Decisões tomadas nesta casa mudaram os rumos da nossa história, geraram riqueza para o nosso povo, trouxeram notoriedade para os empreendedores que aqui investiram seu suor e labuta, deram força e reconhecimento a um Estado que se fez pelo trabalho. 

 

Na Associação Comercial conviveram personagens das mais diferentes raízes, das mais diversas culturas, vindos de todos os continentes, dos quatro cantos do mundo. 

É… ao longo destes 152 anos o mundo se reuniu sob este teto. 

 

No ventre desta casa soluções para os mais complexos problemas político-econômicos do Ceará foram geradas. 

 

Ideias transformadoras ultrapassaram essas paredes, deitaram sobre o solo árido do nosso Estado e germinaram desenvolvimento por cada canto, alimentando o sonho de ser grande, desse povo resiliente, que renasce a cada nova seca. 

 

Tudo o que somos hoje, todos os empreendimentos que para cá vieram, toda a riqueza que se fez brotar nesse Estado, em muito se deve aos artesãos que, ao longo desses anos todos, estiveram presentes a esta oficina onde se forja e se pratica a arte maior do trabalho. 

E, nesse grupo, certamente se incluem os membros de uma família que, cem anos atrás, saiu do longínquo Líbano, atravessou mil mares, e veio se estabelecer em Fortaleza para cobrir o nosso povo com o mais nobre dos tecidos, o tecido do trabalho. 

 

É por isso que hoje, quando comemoramos os 152 anos da Associação Comercial do Ceará, queremos homenagear não apenas o homem, o empresário Emílio Ary Filho, mas sim, através dele, queremos reconhecer e reverenciar a história de toda a sua família. 

 

Meu caro Emílio Ary Filho, neto de Jorge Habib Ary e de Afif Lazar Ary, filho de Emílio Ary e  

Maria Luisa Jereissati Ary; você, seus irmãos Paulo Ary e Pedro Ary, e agora seu filho Emílio Ary Neto e seu sobrinho Pedro Filho, ao conduzirem os negócios da família, ao trazerem a Casablanca Tecidos, do ontem ao hoje, vocês deram um testemunho vivo do que nos disse o seu conterrâneo libanês, o poeta Khalil Gibran, de que “o trabalho é o amor tornado visível!” 

A vocês, Emílio Ary Filho e família, eu saúdo em nome de todos os que fazem a Associação Comercial do Ceará, e tenho certeza de que, os saúdo também, em nome de toda a classe empresarial aqui presente, com a outorga da nossa comenda maior, o Troféu Carnaúba 2018. 

Com esta comenda estamos te dizendo obrigado. Obrigado por tudo o que fez e continua fazendo pelo comércio do nosso Estado. 

 

A vocês, eu peço uma calorosa salva de palmas. 

 

Mas, meus amigos e minhas amigas, eu não poderia perder esta oportunidade de, estando junto a um grupo tão seleto de cidadãos e cidadãs conscientes, de homens e mulheres diretamente envolvidos e comprometidos com o desenvolvimento socioeconômico do Ceará e do Brasil, eu não poderia  deixar de lembrar que este ano é muito importante para todos nós. 

Neste ano acontecem as eleições para Presidente, Governador, Senador e Deputados Federais e Estaduais. E nelas está em jogo o nosso futuro, nelas está em jogo a nossa consciência, nelas está em jogo a nossa dignidade. Durante as eleições deste ano temos a oportunidade de limpar esse mar de lama que tanto tem nos enojado nos últimos tempos. 

 

Lembrem, meus amigos e minhas amigas, que falta de transparência e de decoro na gestão pública em todos os níveis; a prepotência, a arrogância e o desrespeito dos poderes estabelecidos e dos políticos de carteirinha, para com a nossa Constituição e para com a sociedade brasileira e cearense; tudo isso ocorre em grande parte, pela omissão ou apatia daqueles que, no final das contas, são os que acabam pagando por todos os descalabros dos que se dizem “eleitos”.  

 

E o preço, meus amigos, tem se mostrado cada dia mais alto. 

E para encerrar, relembro as palavras do filósofo grego Platão, ditas a quase 2.500 anos: “o preço que os homens de bem pagam pela indiferença aos assuntos políticos é ser governado pelos maus”. 

 

Que nestas eleições, nós criemos vergonha, tomemos atitude e assumamos para nós, a responsabilidade pela construção de uma nova realidade para o Ceará e para o Brasil. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial