Grupo C Copa do Mundo (Com Austrália, Dinamarca, França e Peru)

Esse grupo conta com um favorito a campeã mundial de 1998, as outras brigam por fora por outra vaga na fase de oitavas de finais. A rodada inaugural será no dia 16 de junho na Arena Kazan, às 7h, horário do Brasil, França x Austrália e 13h em Saransk Peru x Dinamarca. 

Austrália: Para chegar a Copa do Mundo, a seleção da Oceânia, que jogou pelas eliminatórias asiáticas teve de passar por duas fases e uma repescagem. Na primeira fase, no Grupo B, liderou com 21 pontos, com sete vitórias e uma derrota, destaques para a vitória de 5 x 1 sobre a Jordânia, 5 x 0 Bangladesh e 7 x 0 Tadjiquistão. Já na segunda fase, ficou em terceiro no grupo 2, atrás de Japão e Arábia Saudita, mas teve algumas vitórias importantes, que levaram a ficar com 19 pontos, como a vitória de 2 x 0 sobre o Emirados Árabes e 3 x 2 sobre a Arábia Saudita. 

 

No mata-mata contra a Síria, o primeiro confrontou saiu de 1 x 1, no Hang Jebat Stadium, no dia 05 de outubro de 2017, no jogo de volta e que definiu a classificação em favor dos autralianos, em Sidney, no dia 10 de outubro de 2017, com dois gols do veterano Tim Cahill, a Austrália venceu de virada. 

 

Mas o jogo decisivo que levou o país a Copa do Mundo da Rússia foi no dia 15 de novembro de 2017, no ANZ Stadium venceu 3 x 1 a Honduras e garantiu a quinta vez no Mundial sendo a quarta consecutiva. Só que uma semana após a classificação, o técnico Ange Postecoglou pediu demissão. No seu lugar o técnico Bert Van Marwijk já convocou a seleção para amistosos no mês de março de 2018, contra Noruega e Colômbia, a lista conta com Aziz Behic, Joshua Brillante, Tim Cahill, Milos Degenek, Jacson Irvine, Mile Jedinak, Brad Jones, Tomi Juric, Mattes Jurman, Robbie Kruse, Massimo Luongo, James Meredith, Mark Milligan, Aroon Mooy, Andrew Nabbout, Dimitri Petratos, Josh Risdon, Tom Rogig, Nikita Rukavytsya, Mathew Ryan, Trent Sainsbury, Aleksandar Susnjar, James Troisi, Daniel Vukovic e Bailey Wright. O treinador que foi vice campeão mundial em 2010 com a Holanda deixa a seleção após  a Copa e quem assume é Graham Arnold, que atualmente está no comando do Sydney FC. 

 

Dinamarca: Disputando o Grupo E, das eliminatórias européias a seleção dinamarquesa ficou em segundo lugar atrás da Polônia. Com 20 pontos, seis vitórias, dois empates e duas derrotas, entre os principais êxitos nessa fase, estão as vitórias sobre Cazaquistão, 4 x 1, 4x 0 sobre a própria Polônia, 4 x 1 sobre a Armênia. Na repescagem em dois jogos a Dinamarca selou sua sorte rumo ao Mundial da Fifa 2018, primeiro a surpresa jogando em casa, no dia 11/11/2017, no FC Copenhangue Parken não passou de 0 x 0 e no jogo da volta fora de casa venceu por 5 x 1 a Irlanda no Aviva Stadium no dia 14/11/2017. Nessa partida decisiva o técnico Age Hareide escalou Schmeichel, Kjaer, Cristensen, Bjelland, Kvist, Yussuf Poulsen (Cornelius), Eriksen (três gols), Larsen (Ankersen), Jörgensen (Bendtner) (gol), Sisto. Em um amistoso no 22 de março de 2018, contra o Panamá uma vitória simples de 1 x 0, com gol de Sisto, afastando o azar depois de duas derrotas seguidas em amistosos. A seleção que já foi campeã européia, e ficou conhecida como Dinamaquina, quem não se lembra dos irmãos Laudrup? 

França: Para chegar a mais uma edição de um Mundial de futebol os franceses lideraram o Grupo A, das eliminatórias européia, com 23 pontos, sete vitórias, dois empates e uma derrota. Com boa vitória de 4 x 1 contra a Bulgária, 4 x 0 sobre a Holanda, 2 x 1 sobre a Suécia. Mas foi na última rodada contra o Belarus, num jogo fraco e vitória apertada de 2 x 1 que a França confirmou a vaga.  

 

 

O técnico Didier Deschamps, escalou a equipe para essa partida com Lioris, Sidibé, Varane, Umtiti, Digne, Tolisso, Matuidi, Lemar (Payet), Coman (Mbappé), Giroud (gol), Griezmann (gol) (Moussa Sissoko). Na convocação em março para os amistosos a volta de Dembélé (Barcelona), outros que foram chamados ainda, Areola, Mandanda, Lucas Hernandez, Kimpembe, Koscielny, Pavard, Sidibé, Kante, Pogba, Rabiot, Bem Yedder, Martial e Thauvin. 

Peru: Paolo Guerreiro punido em um ano, por dopping e que teve a pena reduzida em seis meses no Comitê de Apelação da Fifa é a principal estrela da seleção do Peru, nesse imbróglio, em que o peruano foi flagrado no exame antidoping acusando benzoilecgonina, só que o Wada pediu dois anos de suspensão para o jogador que pode ficar fora da Copa do Mundo de 2018. A seleção do Peru chegou ao Mundial terminando em quinto lugar nas eliminatórias da América do Sul, com 26 pontos, sete vitórias, cinco empates e seis derrotas desbancando a favorita o Chile. Entre as principais vitórias nessa fase, 3 x 0 sobre a Bolívia, 2 x 1 sobre o Equador, 3 x 0 sobre o Chile, 4 x 1 sobre o Paraguai e 2 x 1 sobre o Uruguai.  

 

O jogo da “classificação” para a repescagem, veio com o empate em 1 x 1 contra a Colômbia, gol de Guerreiro. A vitória que levou o Peru a Copa do Mundo 36 anos depois, ao contou com sua principal estrela Paolo Guerreiro. No dia 16/11/2017, em Lima a vitória por 2 x 0 sobre a Nova Zelândia. O técnico Ricardo Gareca que não foi bem no Brasil como técnico do Palmeiras escalou para esse jogo o Peru, com Gallese, Advíncula, Christian Ramos (gol), Alberto Rodriguez, Trauco, Tapia, Cueva (Zela), Edison Flores, Andy Polo (Carrillo), Farfán (gol), Ruidíaz (Yotún). O técnico convocou a equipe para os amistosos contra a Croácia e Islândia, nos EUA. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial