Franchising tem projeção otimista e novos formatos de negócios para 2017

Setor apresenta expectativa de crescimento de 9% impulsionado por novos formatos de operação desenvolvidos pelas franqueadoras.

Embora 2016 tenha sido um ano difícil para a economia brasileira de forma geral, o setor de franchising foi um dos poucos que registrou crescimento expressivo no período. De acordo com os últimos dados divulgados pela ABF – Associação Brasileira de Franchising – a estimativa de crescimento girou em torno dos 8% em comparação ao ano anterior. Segundo a entidade a projeção para 2017 ficou na casa dos 7 a 9%, previsão otimista para o mercado que segue em expansão, principalmente em relação a novas unidades e modelos de negócios propostos pelas franqueadoras em operação.
Conforme esperado pelos principais players do setor, 2017 começou com boas notícias em relação à redução de custos para financiamento, com baixa da inflação e das taxas de juros. Tal fator econômico aliado às soluções de novos formatos de operação propostos pelas franqueadoras faz com que investidores vejam com bons olhos o que o mercado tem para oferecer. “Todas as marcas que conseguirem se ajustar em operações mais leves e baratas terão um bom momento nos negócios. Isso vale tanto para marcas renomadas, com mais tempo de mercado, quanto para as que passaram a ser franqueadas recentemente”, declara Junior Nascimento, diretor da Cia de Franchising.
De acordo com Nascimento, as marcas que apostarem em novos formatos de negócio como quiosques, porta a porta e store in store (loja dentro de loja) terão margem de crescimento mais alta. “Algumas franqueadoras procuraram se ajustar em novos modelos para garantir uma capilaridade maior, modelos mais baratos para cidades menores, consequentemente reduzindo o valor de investimento”, ressalta o especialista em formatação e expansão de franquias.
Entre as marcas que passaram por este processo destaca-se a rede de franquias especializada em batatas fritas no cone e churros, Belga Mix, que reformulou parte de sua operação, tanto em relação à contratação de funcionários para o dia a dia do negócio, quanto no investimento em novas tecnologias, que facilitaram os processos e permitiram a criação de novos formatos de franquias, em foodcartse quiosques de shoppings. Os investimentos iniciais que antes eram a partir de R$106mil, agora começam na casa dos de R$29,5mil.
A franquia da Belga Mix voltada para quiosques de shoppings será apresentada pela primeira vez na Feira do Empreendedor, no próximo dia 18 de fevereiro, e atende a demanda de potenciais franqueados que buscavam um negócio voltado para operação em lugares internos com grande público, como os centros de compras. “Investimos em uma nova tecnologia para o preparo dos produtos, pois o antigo processo era um impeditivo para este modelo de negócio. Já temos uma franquia em operação neste formato e estamos bastante confiantes quanto à aceitação por parte dos investidores”, declara Machado.
Quanto aos setores promissores para 2017, segundo Nascimento os destaques ficam para os setores de alimentação – que raramente registra quedas; serviços – por demandar investimentos menores; manutenção e reparo – por conta de um período de redução de custos, as pessoas optam pelo conserto em vez de adquirir um novo produto. Como todo negócio, além do capital inicial, o empreendedor que optar pelo franchising precisa ter o perfil tanto do setor, quanto da área de negócio que pretende atuar. “O franqueado ideal é aquele que realmente tenha perfil empreendedor, com capacidade de aceitação e disciplina, pois é preciso entender que existem regras e padrões a serem seguidos. Além disso, é necessário que o franqueado tenha recursos financeiros suficientes para impulsionar o negócio, estabelecido pelas franqueadoras como capital de giro”, pontua o especialista.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial