FestMicro 2018 consagra o potencial do Micro e Pequenos negócios no Ceará

Da redação 

De acordo com o Sebrae, mais de 390 mil pequenos negócios movimentam a economia cearense. E ainda existe espaço, conforme os analistas, para um maior crescimento no Estado. São micro e pequenas empresas que movimentam – anualmente – 20 bilhões de reais e ofertam 52% dos postos de trabalho. O XI Encontro Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Ceará – (FestMicro 2018) contou com a presença de 600 empresários de todas as regiões do Estado. 

O evento, realizado pela Federação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Ceará (Femicro-CE), em parceria com o Sebrae-CE e com o Banco do Nordeste, dia 21 de setembro, no Centro de Negócios do Sebrae-CE, em Fortaleza, mostrou a força do setor e indicou os novos caminhos de crescimento do setor. Com o tema Inovar Para Competir, o FestMicro 2018 foi pensado com o objetivo de reunir representantes de empresas de micro e pequeno porte, além de micro-empreendedores individuais (MEIs). 

 

Competir 

O Encontro discutiu a importância dos pequenos negócios e o fortalecimento do segmento no Estado. “Competir requer estudo, criatividade e mudança constante”, ressalta a presidente da Femicro-CE, Dalvani Mota.Para o Diretor Superintendente do Sebrae-CE, Joaquim Cartaxo, um evento como este incentiva o empreendedorismo. “Um encontro como este faz com que os micro e pequenos empresários troquem ideias e experiências. Isso fortalece o setor. Fortalece o associativismo”, acrescenta. 

O FestMicro 2018 contou com uma programação especial com palestras e debates.O XI Encontro Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Ceará (FestMicro 2018) contou com o apoio institucional da Confederação Nacional das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (COMICRO), da Associação dos Micro e Pequenos Empresários de Fortaleza (AMPEFORT), da Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará (FACIC) e da Prefeitura de Fortaleza, por meio Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE). 

Conforme ainda o Sebrae, em dez anos, os valores da produção gerada pelos pequenos negócios saltaram de R$ 144 bilhões para R$ 599 bilhões. Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Juntas,  cerca de 9 milhões de micro e pequenas empresas no País representam 27% do PIB, um resultado que vem crescendo nos últimos anos. Em 1985, o IBGE calculou em 21% a participação dos pequenos negócios no PIB brasileiro. 

 

Os mandamentos do ESG 

Apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a Principles for Responsible Investment (PRI) é uma rede internacional de investidores que defendem a adoção de critérios de sustentabilidade corporativa nos negócios. Reunindo 1,7 mil signatários, que juntos respondem pela administração de US$ 65 trilhões em ativos ao redor do mundo, ela tem atuação norteada por quatro princípios fundamentais: 

Apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a Principles for Responsible Investment (PRI) é uma rede internacional de investidores que defendem a adoção de critérios de sustentabilidade corporativa nos negócios. Reunindo 1,7 mil signatários, que juntos respondem pela administração de US$ 65 trilhões em ativos ao redor do mundo, ela tem atuação norteada por quatro princípios fundamentais: 

Microempreendedor Individual – Faturamento anual até R$ 81 mil; 

Microempresa – Faturamento anual até R$ 360 mil; 

Empresa de Pequeno Porte – Faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões; 

Pequeno Produtor Rural – Propriedade com até 4 módulos fiscais ou faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial