Editorial – A operação “Carne Fraca” e suas conseqüências para o mercado

A operação “Carne Fraca” e suas  conseqüências para o mercado

Essas, são nossas preocupações com o setor que investe em produção, na força do trabalho, ameaçado pela corrupção, um mal secular que sempre favoreceu os grandes empresários protegidos pelos cargos políticos.

Depois que a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, revelou o uso de carnes podres, manipuladas com ácido, papelão e colocadas nos pontos de vendas, o setor vive uma crise que abalou os mercados internos e externos, trazendo graves prejuízos para as exportações brasileiras provenientes dos embargos de países em todo o mundo.
A comercialização de carnes no mercado interno e externo são fundamentais para economia nacional. A corrupção, crime que coloca o país em primeiro lugar na esfera mundial, parece ser endêmica e fazer parte da cultura dos brasileiros e não ter mais fim, principalmente porque envolve as maiores autoridades do país que continuam governando sem que os tentáculos da justiça os alcance, pelos menos no momento. São poderes com a força de formular leis para protegê-los das investigações, como é o caso da lei que tenta anistiar o crime de caixa dois. Esse fator coloca em xeque não só a reputação do país, no exterior, mas a credibilidade das empresas brasileiras, especificamente no caso em questão, como as unidades frigoríficas. Todo o trabalho desenvolvido pelos técnicos da área do agronegócio saiu prejudicado, justamente por ser a carne uma das commodities que atrai divisas para o país.
A imagem do Brasil no mercado externo foi muito afetada pela forma como a Polícia Federal divulgou a operação, generalizando e prejudicando um trabalho desenvolvido à décadas para qualificação do mercado que se tornou competitivo em termos mundiais. O governo brasileiro, apesar de todo esforço, vem enfrentando sérias dificuldades para recuperar a imagem do setor que sofreu forte abalo. O Brasil demorou muito para consolidar sua participação no mercado internacional e hoje é um dos maiores exportadores de carne do mundo.
A crise que o segmento de carnes vive hoje em decorrência da corrupção e da operação “ Carne Fraca”, da Polícia Federal, ameaça toda cadeia produtiva da pecuária do país. A forma como a mídia colou o assunto afasta os consumidores e pode quebrar o setor se não for reparado o quanto antes.
A ameaça de perda de credibilidade à qualidade dos produtos é um caso grave por envolver um dos maiores frigoríficos do país, o JBS. O governo brasileiro de certa forma tem sua parcela de responsabilidade, pois investiu muito no frigorífico através do BNDES o qual hoje é um dos maiores acionistas. A JBS hoje está presente não só no Brasil, mas na Europa e Estados Unidos e tem o domínio absoluto da carne não só bovina, mas também, suína e de frango.
Essas, são nossas preocupações com o setor que investe em produção, na força do trabalho, ameaçado pela corrupção, um mal secular que sempre favoreceu os grandes empresários protegidos pelos cargos políticos, enquanto os cidadãos brasileiros nunca tiveram a mão invisível das políticas públicas que minimizem o seu sofrimento no dia a dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial