De vice do Cearense ao titulo da Série B, a metamorfose do Leão

Era 08 de abril de 2018, na Arena Castelão, a equipe comandada por Rogério Ceni perdia para o seu maior rival, o Ceará Sporting Club de 2 x 1. Já havia perdido o primeiro jogo pelo mesmo placar, e assim dava a adeus a chance de ser campeão Cearense de 2018, o time estava escalado com Mateus Inácio, Diego Jussani, Adalberto, Bruno Melo, Wanderley, Tinga, Felipe, Ligger, Pablo, Oswaldo e Gustavo.

Sete meses e dois dias depois, na Ressacada, o Leão do Pici vencia o Avai (SC) por 1 x 0 com gol de Rodolfo, aos 49 minutos do segundo tempo. Seria o gol do título inédito para o futebol cearense, na Série B. Rogério Ceni escalou o tricolor do Pici, com Max Wallef, Tinga, Roger Carvalho, Liggier, Bruno Melo, Nene Bonilha, Derley, Marlon, Wilson, Ederson, Romarinho.

Uma reviravolta na história do Fortaleza Esporte Clube que completava 100 anos em 2018 e tinha passado oito anos na Série C e na carreira de técnico de Rogério Ceni, depois de em 2017, ter sido demitido do seu clube de coração, o São Paulo Futebol Club, onde foi goleiro por mais de 20 anos e mais de 100 gols marcados entre falta e pênalti.

Essa história marcante do título começou no dia 13/04, na mesma Arena Castelão que dias atrás o titulo tinha escapado da mão para o seu maior rival e onde a torcida e alguns dirigentes e cronistas esportivos passaram a questionar o nome do Mito, como treinador do clube cearense. Mas veio logo de cara a vitória, por 2 x 1 sobre o Guarani (SP), com gol de Gustagol de falta quase no fim do jogo, um dos seus 12 gols na competição até a conquista.

O time leonino que liderou a competição por quase todas as rodadas e permaneceu no G-4 em todo o campeonato, conquistou nas 36 rodadas que valeram a conquista do Campeonato Brasileiro da Série B, com 20 vitórias, oito empates e oito derrotas, 50 gols pró e 31 gols contra. 19 saldo de gols, e 63% de aproveitamento.

Entre as principais vitórias podemos destacar 3 x 0 no Goiás, 3 x 0 no Juventude fora de casa. Os demais placares foram apertados, ou com dois gols de diferença, houve momentos de oscilação, como nas derrotas para 2 x 1 para o São Bento (SP), 2 x 1 para o Oeste (SP), dentro de casa e 2 x 0 para Ponte Preta (SP), três equipes paulistas.  No fim a conquista veio, com mosaicos, estádios lotados e muita festa na carreata pelas avenidas da cidade em comemoração, ao feito único na história do futebol cearense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *