Brasil: um país com representação política sem credibilidade, sem ética e sem moral!

Desculpe o eleitor, mas faz-se necessário clamar por sua atenção, e não existe uma maneira melhor do que ser realista. Às vezes uma palavra ou uma frase traz a medida certa para o assunto em pauta. 

O Brasil precisa nesse limiar de começo de ano ser sacudido. Chacoalhado, jogado de cima para baixo, para tomar um rumo coerente no seu exercício cívico. O Brasil viveu afundado na imoralidade geral. Todo falsário, corrupto, contrabandista, mafioso em geral gritava, mandava, reinava e ameaçava o povo brasileiro. Até as tramas das novelas em décadas passadas, já nos avisavam com seus personagens demagogos, imitando a vida real, às vezes nos fazendo pensar que elas estavam exagerando, mas não estavam.  

O desdobramento da operação Lava Jato abriu os olhos do povo brasileiro. Entretanto, como o brasileiro tem o costume de esquecer muito rapidamente das coisas, principalmente no cenário político, o preço a pagar é muito caro e danoso para o conjunto da sociedade.  

Com a ascensão do governo do PMDB e seus aliados, desde o primeiro dia da sua posse, o governo Temer politicamente está avacalhado. As instituições desmoralizadas, a justiça desacreditada por aceitar que denunciados, partícipes em esquemas de corrupção continuem no poder, fazendo o que bem querem e acobertados pelo foro privilegiado, já criado para proteger e salvar seus idealizadores da cadeia e até fazer o povo de besta. A sugestão exigida pelo momento atual é a escolha de uma só alternativa lúcida: realização de plebiscito nacional para mudar os vícios constitucionais de 1988 com o firme propósito de acabar com os privilégios que hoje protegem os políticos corruptos. 

Politicamente o Brasil é um país sem credibilidade e sem representação ética e moral. Uma pessoa como esse ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), cassado em 2005, tendo seus direitos políticos suspensos por oito anos, condenado a dez anos de prisão em regime fechado (mas, como recebeu o benefício da delação premiada, reduzindo em 1/3 a pena, sua pena foi reduzida para 7 anos e 14 dias e foi cumprida em regime semiaberto), que já chegou a sentar no dinheiro do mensalão, réu confesso, respaldado pelo cargo de deputado federal, se achava o dono do mundo, foi preso e sentenciado, cumpriu a sua pena, volta ao cenário político e midiático, como presidente do seu partido (PTB), que ironia!, agora credenciado por esse governo sem credibilidade, que, sem nenhuma ética indica sua filha, a deputada Cristiane Brasil para exercer um cargo de tamanha relevância, o Ministério do Trabalho. Nada contra, se o nome dela não estivesse sido citado por um delator da LavaJato,indicando que a mesma recebeu R$ 200 mil de propina da Petrobras. Pesava contra ela também uma ação por não pagar direitos trabalhistas a um funcionário, inclusive, uma causa ganha, apontando o desprezo da deputada em relação a direitos trabalhistas, contudo nenhum destes fatos foi suficiente para embargar seu nome para um cargo de tamanha importância. Que governo é esse que dá as costas para o povo e não está nem aí para as consequências de suas ações políticas? 

Acostumado a recepcionar deputados, paparicado pela mídia sensacionalista e homenageado pelos poderosos, o presidente Temer parece que não está só com dificuldade de urinar. As suas crises continuam, pois percebeu que essa história de se esconder atrás da situação econômica do país, não funciona mais não; o povo acordou e já notou o abismo em que caiu ao ter se omitido em lutar pela manutenção da democracia que resultou num golpe parlamentar montado por um grupo empresarial e político, que agora mostra a que veio. Quais são os planos do atual governo que já estão em curso: dilapidar as conquistas e os aumentos reais de salários conquistados ao longo desses anos, destruir a classe média, dilapidar o patrimônio nacional e aumentar o abismo entre ricos e pobres. 

Poderíamos nesse artigo abordar temas econômicos como regularmente o fazemos, contudo, nos preocupa, que um país onde a imoralidade e a falta de ética não têm limites, qualquer outra tarefa social de seu povo em busca de trabalho honesto, de crescimento econômico e da felicidade das famílias vão esbarrar neste abismo em que o Brasil está afundando e que não é somente a droga e a violência das ruas, mas também o retrocesso social e político instituído nos gabinetes de Brasília, que, enfim, estão associados a todos esses males que destroem os sonhos das nossas famílias e levam os jovens, principalmente, ao desencanto do futuro.  

Em outubro teremos a grande saída, qual seja, a renovação dos quadros políticos com a preservação daqueles que se posicionaram ao lado do povo no exercício de seus mandatos, focando a experiência dos candidatos, o desempenho parlamentar, os princípios éticos e morais e a formação política, através de cursos e reciclagem para os candidatos. Não adianta só votar sem conhecer o quilate moral do seu candidato, em muitas ocasiões o voto de protesto nos leva a um profundo fosso e pode lapidar um leigo para o caminho da corrupção. 

Caro eleitor, nas eleições de 2018 exercite o seu dever de votar com sabedoria, pois tudo que estamos passando hoje é fruto das ações desse parlamento conservador e subserviente, que só vota se estiver em pauta a opção toma lá da cá. Veja a questão das emendas parlamentares, as denúncias contra Temer e seus ministros que foram arquivadas, eivadas de concessões para que não fossem investigadas com celeridade. Esse conluio político é o verdadeiro responsável pela retirada de direitos e retrocessos que estamos vivenciando nos dias de hoje. Veja quem votou contra você. É fácil é só pesquisar.  

Fica aqui a pergunta, será que já não está na hora de aprendermos a votar? 

Essa é a pergunta que não quer calar! 

______________________ 

Antonio José Matos de Oliveira é jornalista, consultor de empresas e diretor administrativo do Jornal do Comercio do Ceará (JCCE), há quinze anos. 

6 comentários em “Brasil: um país com representação política sem credibilidade, sem ética e sem moral!

  • 2 de fevereiro de 2018 em 12:54
    Permalink

    Texto brilhante , fantástico e de uma verdade imensurável . Verdades assim, só poderíamos ler em um jornal de credibilidade , como é o Jornal do Comércio do Ceará que tem como diretor administrativo meu amigo Antônio Matos!

    Pedro Monte

    Resposta
  • 2 de fevereiro de 2018 em 13:09
    Permalink

    Texto magnífico, que retrata a verdade da desgastada política brasileira !

    Resposta
  • 2 de fevereiro de 2018 em 19:32
    Permalink

    Este editorial está muito esclarecedor. O jornalista João Carlos Mattos fez uma análise contundente do panorâmica político atatu, onde o eleitor brasileiro tem o dever moral de saber votar. O Jornal do Comércio do Ceará está de parabéns!!!

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2018 em 09:32
    Permalink

    O artigo está muuto bom . Parabéns!

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2018 em 17:18
    Permalink

    Mas, tudo na vida se resolve, o Dr Matos está COM RAZÃO…

    Resposta
  • 20 de fevereiro de 2018 em 15:55
    Permalink

    O jornalista colocou em pauta tudo de ruim que esse governo está fazendo com o povo brasileiro. Aproveito para parabenizá-lo pelo jornal do Comércio do ceará, alertando ao eleitor para tomar consciência na hora de votar. Concordo quando o jornalista que deixa uma indagação. Será que já não está hora aprendermos a votar? Parabéns pelo conteúdo das matérias e a excelente diagramação.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial