Black Friday: como aproveitar a data sem ser enganado com falsos descontos

Especialista dá dicas para conseguir driblar as pegadinhas das promoções que irão tomar conta do mundo nesta sexta-feira

 Com as datas comemorativas chegando e muitas pessoas para presentear, nada como economizar um pouquinho na hora das compras. A global Black Friday chegou ao Brasil em 2011 e é uma das maiores datas promocionais de movimentação do comércio brasileiro. A ação acontece sempre na última sexta-feira de novembro, que neste ano cai no dia 23, e conta com a adesão de empreendimentos físicos e virtuais, por conta do incentivo da data.

De acordo com o E-commerce Brasil, a previsão para este ano é um crescimento de 15% no volume de vendas, número motivado pela expectativa positiva do cenário econômico e pela retomada da confiabilidade dos empresários e consumidores. Porém, embora seja uma ótima oportunidade de garantir alguns produtos por um peço melhor, também é o momento em que o consumidor pode ser enganado de diversas formas.

Após a novidade ser trazida para o país, já começou a se falar nas Black Fraudes ou nas promoções de “tudo pela metade do dobro”. Por isso, o economista e professor do ISAE Escola de Negócios, Pedro Salanek, separou algumas dicas importantes para quem quer aproveitar o momento sem ser pego pelos falsos descontos e links enganosos.

De acordo com Pedro, toda compra deveria ser realizada apenas após um planejamento prévio, para que não haja nenhum problema. “Ao invés de se deixar levar pela empolgação do dia da compra, o ideal seria fazer uma pesquisa de valores dos produtos que estão na lista de compras, para que haja um comparativo na hora de efetivar o pagamento”, explica. “O imediatismo seduz o cliente e faz com que ele acabe sendo enganado, tanto com valores quanto com golpes virtuais de roubo de dados”, complementa o especialista.

Outro ponto importante é redobrar o cuidado com ambientes virtuais, que hoje compõe a maior parte das escolhas de compra dos consumidores. Buscar sempre sites oficiais, com boas avaliações, empresas conhecidas e, de preferência, com indicações de garantia da entrega e da confiabilidade do produto no que diz respeito a qualidade. “Para que o cliente não fique sujeito a riscos de vírus por links suspeitos, que acabam levando dados pessoais importantes e causando prejuízos financeiros, instalar um bom antivírus no computador também pode ser uma alternativa”, aconselha o economista.

Avaliar bem as ofertas e sempre desconfiar de descontos atrativos demais, que saem da realidade dos valores convencionais, é essencial para driblar as pegadinhas. O encanto da super promoção muitas vezes leva o cliente a não perceber a diferença absurda dos preços. Além disso, manter o foco somente nos produtos que deseja obter é a principalmente dica. “Comprar apenas pelo impulso também faz com que o consumidor acabe adquirindo muitas coisas supérfluas e gastando além do que deveria ou poderia. Citando Warren Edward Buffett, investidor e filantropo americano, preço é o que você paga e valor é o que você leva. Ou seja, não é só porque está barato que a compra realmente valha a pena”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *